Pular para o conteúdo principal

OS "EXCESSOS" DA COPA 2014



Olhem bem a imagem acima. Trata-se do (velho) Estádio Vélodrome em Marselha, que já sediou duas Copas do Mundo, a de 1938, ainda nos tempos românticos do futebol, e a de 1998, já na era moderna do futebol-marketing, quando recebeu a semifinal da competição.

Repito, notem bem a imagem.

Localizado em uma das maiores cidades de um dos países mais ricos do mundo, além de duas Copas do Mundo, sediou uma Eurocopa em 1984.

Trata-se de um estádio que não é totalmente coberto, que tem um fosso separando o público do campo e que foi inaugurado em 13/06/1937. Portanto, um estádio antigo e pouco propenso a grandes modernizações.

A imagem dele está aí para demonstrar que o Caderno de Encargos da FIFA está sendo divulgado no Brasil como justificador de gastos excessivos para a Copa de 2014.

Ontem, o governador de São Paulo, José Serra, indo contra a maré de jogar dinheiro público a fundo perdido no evento, reclamou do excesso de obrigações que têm sido impostas para o Morumbi, como forma de pressionar pela construção de um estádio completamente novo ao custo de ao menos 1 bilhão de reais, condizente com a grandeza econômica da cidade mais importante do hemisfério sul.

O Vélodrome é prova de que a FIFA não exige arenas multi-uso perfeitas para a realização de uma Copa do Mundo. A FIFA não exige 100% dos lugares cobertos, como tem se divulgado insistentemente. A FIFA não proíbe que uma mesma cidade receba duas sub-sedes.

Ou seja, estão planejando gastos colossais em estádios públicos brasileiros como o Maracanã (que segundo os histéricos de plantão não pode receber a Copa sem um grande prédio de estacionamentos e sem cobertura integral, por mais que isso atente contra o tombamento histórico dele), o Mineirão e os estádios de Brasília, Natal e Manaus, sem contar a construção de um estádio completamente novo aventada para o Recife.

EM 1986, o México limitou-se a usar os estádios da Copa de 1970 com algumas reformas. Os italianos até hoje se perguntam do por quê dos gastos na Copa de 1990, em estádios que os clubes recusaram por suntuosos demais e mesmo inadequados ao futebol moderno. Em 1994, os EUA promoveram a copa do mundo mais bagunçada(conquanto mais lucrativa) da história, na qual improvisaram estádios de futebol americano e basebol, sem que a FIFA levantasse um "ui" contra isso.

O Brasil quer fazer uma copa como a da Alemanha ou Japão-Coréia, mas não tem capacidade financeira para tal. Arrisca se enterrar em gastos públicos excessivos, deixando de colocar dinheiro precioso em educação, saneamento, saúde e segurança pública, apenas para supostamente cumprir um caderno de encargos que ninguém efetivamente respeita, agradando apenas os políticos manipuladores de orçamentos.

Postagens mais visitadas deste blog

O DISTRITÃO NÃO SOLUCIONA, MAS É MELHOR DO QUE HÁ HOJE

Existem dois tipos de eleitores no Brasil. O consciente, que vota naquilo que o candidato representa (para o bem ou para o mal), e o conivente, aquele que troca o seu voto por alguma benesse, ignorando as falhas gritantes do candidato.
Aqui, em Rio Branco do Sul, se um indivíduo não gastar no mínimo uns 100 mil reais não tem chance alguma de se eleger vereador. Quando meu pai foi candidato, 40 anos atrás, todo dia tinha fila na porta de casa, de gente pedindo dinheiro, cachaça, carona para ir para Curitiba, traslado para levar a mãe na benzedeira, contribuição para churrasco, material de construção, etc... e isso foi bem além da campanha, uns 10 anos depois ainda tinha gaiato dizendo que votou nele, emendando isso com pedido de trocados para gastar no boteco, e isso que não foi eleito, nem tentou de novo depois.
Moral da história: as campanhas eleitorais não são caras porque os candidatos querem gastar, elas são caras porque boa parte do eleitorado é corrupto e desonesto. E num ambie…

VIRAR PESSOA JURÍDICA PODE PREJUDICAR SUA APOSENTADORIA

Nestes tempos em que se discute com 15 anos de atraso uma reforma previdenciária profunda que ataque um dos dois principais problemas fiscais brasileiros, o déficit crescente do INSS (o outro é a conta absurda de juros), não deixa de ser importante discutir o efeito de transformar o empregado em pessoa jurídica.
Para nós, contabilistas, é o melhor dos mundos. O empregado de certa empresa vira pessoa jurídica, nós recebemos os honorários de tabela e ele ainda desconta 11% (quando somos pessoas físicas) do valor que é nossa contribuição previdenciária. Mas para o ex-empregado as coisas não são assim tão simples.
Quando você aceita virar pessoa jurídica, imediatamente tem de pensar em como ficará sua aposentadoria. Um empregado que ganhe R$ 15 mil mensais, contribui para o INSS pelo máximo da tabela, ou seja, ele está pagando para, quando completar o tempo e a idade, aposentar-se com um valor de aproximadamente R$ 5 mil por mês, talvez um pouco menos dependendo de sua média de contribui…

O ADEUS AO MAIOR DOS COXAS

"...não deixem que o Coritiba caia para a segunda divisão. Faça essa diretoria montar um time forte. Ano que vem o Coritiba completa 100 anos e precisa estar disputando o título brasileiro. Montem um time forte. Pensem grande. Lá do céu vou comemorar junto com vocês... "Abro o Coxanautas e vejo a notícia triste, o falecimento do maior dos Coxas.

Evangelino da Costa Neves, o "Chinês", veio de São Paulo e se apaixonou pelo Coritiba, clube pelo qual praticamente deu sua vida com esforço e dedicação como o de quem constrói o futuro de sua própria familia.

Digo aos meus leitores e lembro aos Coxas mais jovens as grandes conquistas deste homem incomum para nós Coritibanos: Construção do estádio Couto Pereira, Campeão Brasileiro, Campeão do Torneio do Povo(*), Fita Azul na Europa e 12 vezes campeão paranaense. Mais conquistas? Eu posso listar: Dirceu, Kruger, Kosilec, Luis Freire, Eli Carlos, Aladim, Manga, Duílio, Tobi, Tostão, Rafael Camarota, Dida, Edson, etc... é prec…