O BRASIL EM TÓPICOS

1. "Renangate".

Enquanto a jornalista Mônica Veloso declara em entrevista à Folha de S.Paulo que não descarta posar nua, o Senado enrola, enrola e empurra com a barriga o julgamento do caso.

O que uma coisa tem haver com a outra?

Simples, se Mônica Veloso sair nua em qualquer dessas revistas masculinas mongolóides, Renan sai do foco e pode alinhavar conchavos à vontade para se safar, sem se preocupar com a reação da opinião pública que estará mais preocupada com as carnes da amante do que com a cabeça do senador.

2. PESQUISA.

Informação extra-oficial, uma pesquisa supostamente encomendada pelo PSDB dá conta que, se o presidente Lula pudesse se candidatar a um terceiro mandato, teria 58% das intenções de voto. Mais que isso, mais de 60% dos entrevistados declararam que o fechamento do Legislafivo não faria mal nenhum ao país.

Se for verdade, é o reflexo de dois fatos:

a) a falta de credibilidade do Congresso, que nos últimos 6 meses limitou-se a pedir aumentos de salários e benesses, a impedir CPI(s) sobre escândalos e a confabular para salvar a cabeça dos parlamentares envolvidos em algum caso de corrupção;

b) a mais completa falta de oposição.

O único partido no Congresso que ensaia alguma oposição é o dos Democratas (antigo PFL). Os demais "oposicionistas" estão agindo como cachorro na cozinha: ficam debaixo da mesa do dono para ver se sobra algum osso do jantar. O PSDB então, é uma lástima. Governando 3 dos 4 estados mais ricos da federação, dá a impressão de estar coligado ao PT, principalmente quando o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, contacta com o governo federal. Fora isso, Yeda Crusius é um desastre político-administrativo e José Serra desapareceu da mídia.

Ou cheira a conchavo para Aécio emplacar o Planalto em 2010, ou a ingenuidade.

3. GUERRA.

O DEM não têm nomes com condições de disputar a presidência em 2010. O PSDB até os tem, mas prefere a guerra interna e a divisão do que promover alguém desde já.

Não sei, mas às vezes tenho a impressão que certo sociólogo será candidato em 2010, dando uma rasteira em quem sonha com a candidatura e contando com a migração para o PMDB, do governador de Minas.

Perderá feio, é verdade. Mas pensemos bem: Se Lula emplacar um terceiro mandato, FHC é seu amigo de décadas. Se Aécio virar presidente, FHC é seu amigo de algum tempo, apesar das guerrinhas tucanas... mesmo perdendo, ele se dará bem, pode até virar um José Sarney versão paulista, porque se acontecer uma candidatura dele, é porque o PSDB virou sua propriedade particular.

Mas isso é especulação minha, pode ser que eu esteja muito errado...