OS ACERTOS DO DUNGA


Desde que acompanho as copas do mundo é sempre a mesma coisa. Após a convocação final o técnico da seleção é chamado de burro e criticado por não levar para o evento algum jogador da preferência da imprensa paulista e/ou carioca.

E Dunga entrou pro mesmo time de vilões nacionais do qual fazem parte figuras vencedoras como Zagallo, Carlos Alberto Parreira, Felipão e Telê Santana. Neste ano, o a chiadeira se deu por conta da dupla Neymar e Ganso do Santos e de Ronaldinho Gaúcho que joga no Milan.

A seleção brasileira é a primeira experîência de Dunga como técnico, é verdade. Mas parece que todo mundo esqueceu que ele foi capitão de todas as equipes em que jogou antes de aposentar a braçadeira, de modo que era ele quem às organizava dentro de campo mediante as determinações de seus técnicos. Ou seja, ele entende, sim, de tática, de posicionamento e de disciplina e tem plenas condições de montar uma equipe vencedora.

E por isso foi campeão da Copa América numa final contra a Argentina, campeão da Copa das Confederações e campeão da Eliminatórias (quando venceu duas vezes a seleção argentina). Será que ele é mesmo tão ruim e inexperiente quando estão falando?

Não, não é! Nas últimas 5 partidas das Eliminatórias, a seleção brasileira jogou de modo brilhante um futebol moderno, pragmático. Sem as firulas de Ronaldinho Gaúcho mas com a alta capacidade de Kaká. Sem a explosão de Ronado Fenômeno, mas com a presença de Luis Fabiano. Dunga não cedeu às tentações de fazer dezenas de experiências que só beneficiariam empresários loucos para ter pupilos se apresentando com a camisa amarela e valorizando seus passes. Testou quem tinha que testar (inclusive Ronaldinho Gaúcho) e chegou a um time base bem definido. Mandou pro chuveiro quem não agiu com o espírito de disciplina, doação e garra que se exige de uma seleção brasileira.

Essa campanha sórdida que vimos nos últimos meses tentando impor a convocação Ronaldinho Gaúcho, Neymar e Ganso foi injusta com Dunga e com os jogadores da base de sua seleção, que venceram os torneios que citei.

Ronaldinho Gaúcho já provou que é craque e já foi campeão mundial. Mas em 2006 ele simplesmente não jogou nada e foi um dos artífices do clima de "oba-oba" que Carlos Alberto Parreira não conseguiu controlar. Por mais que seu futebol seja brilhante, já está provado que ele não precisa mais da camisa amarela, ele já está na história, mais uma copa pouco lhe acrescenta ao currículo.

Neymar e Ganso, por sua vez, são inexperientes e os "shows" que patrocinaram no Santos não são base para auferir toda a sua capacidade. Em 2010, o Santos enfrentou São Paulo e Corinthians despreocupados no campeonato paulista e o Palmeiras em crise técnica. As "provas de fogo" dos "meninos da vila" este ano, foram o jogo final do paulistão contra o Santo André e os embates contra o Atlético Mineiro. Pouco para se auferir a capacidade dos garotos em enfrentar uma Copa do Mundo. Ademais são jovens e com 3 ou 4 Copas do Mundo pela frente.

Portanto, Dunga está certo. Ele convocou os jogadores que se encaixam melhor na sua filosofia de trabalho e não deu bola para o besteirol de repórteres, comentaristas e locutores. Talvez seja campeão, talvez não, mas acredito que fará uma grande campanha, lembrando sempre que seleções brilhantes como o Brasil em 82, Hungria em 54 e Holanda em 74 e 78 não foram campeãs.

Ser campeão em Copa do Mundo é detalhe, mas que eu lembre, sempre que o Brasil aderiu ao "oba-oba" voltou de mãos abanando...