Pular para o conteúdo principal

OCTÁVIO FRIAS DE OLIVEIRA E A IMPRENSA BRASILEIRA

A imprensa brasileira, apesar de todos os seus defeitos é de regra pluralista, democrática e de altíssima qualidade.

Há quem diga que é conservadora e direitista, mas são pessoas contaminadas pelo ranço do totalitarismo, aversas às opiniões contrárias e ao debate de idéias. Não preciso dizer quem são ou onde se encontram tais pessoas, mas o fato é que elas não conservam o hábito de, quando não a fim de discutir, simplesmente não ler, ouvir ou assistir aquilo com o que não concordam. Preferem pedir o fechamento do órgão de imprensa que têm como inimigo, ou, pior, censura para que ele se adeque aos seus interesses personalíssimos ou às suas visões tacanhas e limitadas de mundo.

Com efeito, no Brasil há publicações e órgãos de imprensa para todos os gostos e tendências, basta deixar o ódio ensandecido de lado.

A propósito do falecimento do "publisher" da Folha de S.Paulo, Octávio Frias de Oliveira, veio-me à memória uma lista dos grandes homens que fundaram a imprensa brasileira e deixaram os grandes conglomerados de mídia que existem hoje. Além dele mesmo, Frias, cujo arrojo do jornal levou à modernização gráfica e editorial inclusive dos concorrentes, a lista conta com Victor Civita que fundou a maior editora de revistas do país e criou Veja, uma das maiores revistas de informação semanal, numa lista onde encontram-se Time, Newsweek, Der Spiegel, The Economist e outras. Também a família Mesquita. Júlio de Mesquita pai, filho e neto, que lutaram, cada um em seu tempo contra ditaduras, pelo direito de editar nas páginas do Estadão (meu jornal preferido, leio desde adolescente) aquilo que achavam justo. Também Roberto Marinho, que assumiu ainda garoto o recém criado "O Globo" com o falecimento precoce de seu pai, transformando a organização em um verdadeiro império de comunicações. Assis Chateubriand Bandeira de Melo, dos Diários Associados, que trouxe para o Brasil o conceito de imprensa de alcance nacional e o conceito de anúncios publicitários, que entraram na imprensa brasileira por meio de seus jornais. Há ainda muitos, como os Sirotski de Porto Alegre, Francisco Cunha Pereira Filho e Paulo Pimentel aqui do Paraná, os Nascimento Brito, no Rio de Janeiro e outros tantos que criaram grandes empresas de mídia e informação em um país tão pouco afeito à ela.

Octávio Frias de Oliveira deixou sua marca naquela frase que a Folha de S.Paulo sempre estampa em sua capa: "Um jornal a serviço do Brasil". Graças a homens como ele, há muitos outros órgãos de imprensa com a mesma tarefa.

Postagens mais visitadas deste blog

O DISTRITÃO NÃO SOLUCIONA, MAS É MELHOR DO QUE HÁ HOJE

Existem dois tipos de eleitores no Brasil. O consciente, que vota naquilo que o candidato representa (para o bem ou para o mal), e o conivente, aquele que troca o seu voto por alguma benesse, ignorando as falhas gritantes do candidato.
Aqui, em Rio Branco do Sul, se um indivíduo não gastar no mínimo uns 100 mil reais não tem chance alguma de se eleger vereador. Quando meu pai foi candidato, 40 anos atrás, todo dia tinha fila na porta de casa, de gente pedindo dinheiro, cachaça, carona para ir para Curitiba, traslado para levar a mãe na benzedeira, contribuição para churrasco, material de construção, etc... e isso foi bem além da campanha, uns 10 anos depois ainda tinha gaiato dizendo que votou nele, emendando isso com pedido de trocados para gastar no boteco, e isso que não foi eleito, nem tentou de novo depois.
Moral da história: as campanhas eleitorais não são caras porque os candidatos querem gastar, elas são caras porque boa parte do eleitorado é corrupto e desonesto. E num ambie…

VIRAR PESSOA JURÍDICA PODE PREJUDICAR SUA APOSENTADORIA

Nestes tempos em que se discute com 15 anos de atraso uma reforma previdenciária profunda que ataque um dos dois principais problemas fiscais brasileiros, o déficit crescente do INSS (o outro é a conta absurda de juros), não deixa de ser importante discutir o efeito de transformar o empregado em pessoa jurídica.
Para nós, contabilistas, é o melhor dos mundos. O empregado de certa empresa vira pessoa jurídica, nós recebemos os honorários de tabela e ele ainda desconta 11% (quando somos pessoas físicas) do valor que é nossa contribuição previdenciária. Mas para o ex-empregado as coisas não são assim tão simples.
Quando você aceita virar pessoa jurídica, imediatamente tem de pensar em como ficará sua aposentadoria. Um empregado que ganhe R$ 15 mil mensais, contribui para o INSS pelo máximo da tabela, ou seja, ele está pagando para, quando completar o tempo e a idade, aposentar-se com um valor de aproximadamente R$ 5 mil por mês, talvez um pouco menos dependendo de sua média de contribui…

O ADEUS AO MAIOR DOS COXAS

"...não deixem que o Coritiba caia para a segunda divisão. Faça essa diretoria montar um time forte. Ano que vem o Coritiba completa 100 anos e precisa estar disputando o título brasileiro. Montem um time forte. Pensem grande. Lá do céu vou comemorar junto com vocês... "Abro o Coxanautas e vejo a notícia triste, o falecimento do maior dos Coxas.

Evangelino da Costa Neves, o "Chinês", veio de São Paulo e se apaixonou pelo Coritiba, clube pelo qual praticamente deu sua vida com esforço e dedicação como o de quem constrói o futuro de sua própria familia.

Digo aos meus leitores e lembro aos Coxas mais jovens as grandes conquistas deste homem incomum para nós Coritibanos: Construção do estádio Couto Pereira, Campeão Brasileiro, Campeão do Torneio do Povo(*), Fita Azul na Europa e 12 vezes campeão paranaense. Mais conquistas? Eu posso listar: Dirceu, Kruger, Kosilec, Luis Freire, Eli Carlos, Aladim, Manga, Duílio, Tobi, Tostão, Rafael Camarota, Dida, Edson, etc... é prec…