O POVÃO VOTA, O POVÃO QUE SOFRA!

As pessoas são engraçadas.

Votam mal e não se preocupam em fiscalizar o que se faz do dinheiro público e quando descobrem que sua irresponsabilidade lhes cria problemas, apelam para terceiros pela solução.

Aqui onde eu moro, o sistema de saúde entrou em colapso. O hospital municipal não funciona a contento, faltam remédios na farmácia pública, postos de saúde foram fechados e os equipamentos de saúde abertos sofrem com falta de profissionais e a precariedade da higiene. Os salários do funcionalismo chegaram a atrasar 90 dias e atualmente, são pagos com 15 de atraso. Os fornecedores do município recebem eventualmente. A merenda e o transporte escolar são precários e ainda existem denúncias de aluguel irregular de imóveis e veículos.

Mas o prefeito foi eleito com 70% dos votos, mesmo acompanhado de todas as figuras mais nefastas da política local, aquela turma que de tanto aprontar, se obriga a colocar o filho como candidato a vereador, para driblar a inelegibilidade.

O povão votou em massa e ficou feliz. Elegeu o prefeito que queria e todos os filhinhos de ex-vereadores inelegíveis. E após a apuração dos votos encheu o rabo de cerveja e cachaça, soltou foguetes e fez buzinaço com direito a coralzinho com o nome do candidato na ponta da língua.

Mas agora todos os dias aparece um néscio qualquer na porta do jornal da minha família, pedindo que nós façamos alarde em torno das denúncias e das dificuldades pelas quais passa o povo pobre e sofrido, o mesmo que aderiu à festança eleitoral e não se preocupou muito em avaliar a qualidade do candidato em quem votou.

Sinceramente, quero que essa gente se dane!

Essa gente que vem pedir que o jornal seja corajoso, denuncie e peite os políticos só fala em povo pobre e sofrido quando lhe dói por alguma razão, até porque o zé povinho mesmo não serve nem para isso por não ter discernimento para saber ao que tem direito, de modo que sobra aos que se acham espertos, a tarefa de tentar enrolar terceiros para que estes lhes tomem as dores.

Denunciar por si mesmo, requisitar providências de modo formal, apor a assinatura ou mostrar a cara de retardado para o político que ele mesmo elegeu, nem pensar, o negócio é empurrar a tarefa para o jornal!

Por isso que sempre digo, o povão vota, o povão que sofra.

O indivíduo mora num barraco de pau a pique, é assaltado, a escola dos seus filhos não ensina absolutamente nada e quando tem um problema de saúde passa 20 horas numa fila de hospital público e não é atendido e mesmo assim vai para a urna e reelege um José Sarney, Severino Cavalcanti, Paulo Maluf, Jáder Barbalho e outros tantos, merece ser feito de idiota.