MOBILIZAÇÃO

Fiesp entrega mais de 1 milhão de assinaturas contra CPMF
do jornal VALOR ECONÔMICO, no portal UOL.

Não que a mobilização contra a CPMF vá adiantar alguma coisa, porque o imposto será renovado mesmo, mas pelo menos houve uma prova de que é possível mobilizar pessoas no Brasil, em torno de causas justas, agindo com democracia e bom senso.

Muito melhor que esse movimento cretino para reestatizar a Companhia Vale do Rio Doce, que hoje recolhe 10 vezes mais impostos do que quando estatal, além de empregar o dobro de pessoas e atuar no mercado global.

A perda da CPMF seria um impecilho para o governo que por isso a defende, embora, como me alertou um leitor anônimo, o PT votou contra ela durante o governo FHC. Apesar da incoerência do PT, que votou contra, mas nunca foi desfavorável a idéia do tal imposto, o governo tem o direito de defendê-lo, tal qual a sociedade tem o direito de lutar contra ela.

O governo ganhou a parada, acho. Mas se a perdesse, não teria maiores problemas em arrumar a casa, porque ficou comprovado no processo que cortes de despesas inúteis (cargos em comissão, por exemplo) e rigor administrativo dariam conta do recado.

Já a reestatização da CVRD seria uma catástrofe para o governo e o país. Poria o Brasil em crise econômica instantânea: imaginem o que aconteceria nos mercados financeiros se o governo praticasse a arbitrariedade de estatizar uma companhia global, com ações em bolsas pelo mundo afora? Só malucos, esquerdofrênicos e irresponsáveis defendem coisa assim, tanto que o próprio presidente da República deixou claro que isso não está na pauta do seu governo, em entrevista coletiva na semana passada.