OS BEE GEES ENTRE OS GIGANTES

O leitor consegue lembrar de quantos músicos globais dos séculos XX e XXI? Ou seja, aqueles venerados pelo mundo afora independentemente do seu idioma, ritmo ou nacionalidade?

Eu ponho nessa lista muito poucos. Elvis e Sinatra, é claro, com estes é chover no molhado. Mas ainda há The Rolling Stones, os dinossauros do rock que descobriram a fonte da juventude ao se reinventar várias vezes para fazer sucesso atemporal. Elton John e Bob Dylan, dois dos maiores compositores de nosso tempo que vivem de surpreender o mundo musical. Madonna, a eterna diva do pop muito copiada e nada igualada. The Beatles, cuja experiência musical não necessariamente agrada a todos por ter sido o primeiro suspiro, embora o mais forte, de um fenômeno adolescente que se repetiu dezenas de vezes em menor escala nos anos seguintes, mas mudou o jeito do mundo olhar o rock e o pop e mesmo assim, um fenômeno global!

Todos gigantes, sem dúvida, e para cada um deles, eu deveria fazer uma homenagem com um longo post, mas em verdade, hoje que quero mesmo é falar do ultimo desta lista, que é curta, mas sem dúvida, espetacular: The Bee Gees.



Os Bee Gees remetem a muitas coisas na vida de muita gente. Quando eles tornaram ao sucesso por volta de 2000, houve quem se visse dançando discoteca ao som deles e do ABBA e no meu caso, voltei à infância porque, infelizmente, não sou daquele tempo do mega-sucesso que fizeram nas pistas de dança do mundo afora. E da minha infância lembro de minha irmã então adolescente adorando-os feito pequenos deuses e do "frege" que era quando tocavam as músicas deles em qualquer lugar. E se na época por várias razões eu não gostava (uma das coisas que, naquela época me deixava puto era a voz de falsete em Stayin' Alive e You Should be Dancing), depois, virei fã como bom faísca atrasada que sempre fui nessas coisas.

É um conjunto com uma trajetória complexa, que várias vezes quase acabou antes do falecimento precoce de Maurice, quem diria, no auge da fama reconquistada poucos anos antes, se bem que sucesso eles sempre fizeram com música da melhor qualidade, senão nas vozes alheias, de muitos artistas de primeiura linha que foram à fonte! Minhas preferidas são Massachusetts, I Started Joke e I Cant't See Nobody. Os Bee Gees, apesar do ostracismo dos anos 90, agradam a quase todos, é música que emociona tanto quanto levanta das cadeiras os quarentões enferrujados de uma época em que a música era expressão da criatividade, do pacifismo e da vontade sincera da juventude em viver as boas coisas da vida.

E você, leitor?

Quem você adicionaria na lista acima e qual a sua experiência especialmente com os Bee-Gees?

PS:

Os vídeos do You Tube que estão na barra lateral, contam um pouco da trajetória musical do grupo, e mudam a cada 1 hora mais ou menos. Se o leitor fizer 4 ou 5 visitas ao blog, encontrará pelo menos 20 clips, de épocas diferentes da carreira deles, uma verdadeira biografia musical. É por essas e outras que estou virando "googlemaníaco". Boa audição!