CADERNOS DE VIAGEM - 16 - APARECIDA/SP

É chover no molhado falar da emoção que uma pessoa normal sente ao deparar com tanta fé estampada nos rostos das pessoas, nos cumprimentos das promessas, nas oferendas acumuladas na sala dos milagres, no trabalho incessante de construção da Basílica que levará centenas de anos para estar pronta e quem sabe, nunca chegue a tanto.

Dizer que chorou ao encarar a imagem da santa é apenas constatar ser humano. Todos choram, todos se emocionam, é impossível adentrar a um recinto de energias tão boas e poderosas sem sentir a presença de Deus e sem imaginar o quanto o homem é pequeno e limitado, um grão de areia em um oceano.

Mas muito há que se falar da grandiosidade, da arquitetura de tirar o fôlego, do bom gosto das estátuas, do bom atendimento ao romeiro, da preocupação com o bem estar de quem lá vai em busca da proximidade com Deus.

Tudo na Basílica remete ao trabalho duro do homem inspirado por Deus, em tudo, sentimos a presença d'Ele.

A beleza das fotos que seguem é apenas reflexo do que se vê em Aparecida. Mas não há palavras para descrever o que se sente no lugar!



São Pedro, na fachada da Basílica.



Interior da Basílica, ao fundo, no quadrado dourado, a imagem da Santa, padroeira do Brasil.



A torre onde situa-se o museu. Um prédio colossal que visto de fora nem parece ter o tamanho que tem.



As muitas promessas cumpridas pelas graças recebidas.




A nova Basílica em toda sua grandiosidade. E mesmo a foto, não demonstra o quanto ela é imponente.




A antiga Basílica, outro espetáculo de arquitetura, beleza e fé!

Clique na imagens para ampliá-las.

Todas as fotos são de minha autoria, o uso na internet é livre, citada a fonte.