A COPA DA BUROCRACIA

Agora os "gestores" públicos reclamam da burocracia inerente às obras para a copa, em vista do problema que o governo Lula causou ao aceitar o encargo em 2007, mas não criar nenhum programa de execução antes de julho de 2010.

Os atrasos e os bloqueios de obras pelos tribunais de contas, a burocracia inerente aos empréstimos do BNDES e a confusão sobre a falta de projetos de melhorias urbanas em todas as cidades-sede são visíveis. Tão visíveis que me permitem afirmar que em 2014 haverá improvisação e, dos 12 estádios (e cidades) projetados, ao menos 3 serão excluídos do evento, isso se não forem mais.

Mas ninguém vence o Brasil no quesito burocracia.

O Brasil é o país do papelório, dos cadastramentos e recadastramentos, das muitas certidões negativas, dos carimbos, dos vistos de funcionários que só aparecem de vez em quando no serviço, das declarações para tudo, dos documentos com validade máxima improrrogável, dos entraves para aceitar-se uma cópia autenticada do que quer que seja, da insanidade de órgãos e consultas para abrir uma empresa e da loucura ainda maior se quiser fechá-la.

É o país das auditorias que não levam à nada, e das ordens de moralidade que são "aliviadas" nos legislativos. É o país onde 2 + 2 pode ser igual a 3 ou 5, dependendo da quantidade de requisitos impostos pelo órgão fiscalizador. É o país dos tribunais que devem fiscalizar essa burocracia toda, mas que na prática servem para abrigar familias inteiras de "bacanas" com régios salários.

É o país das muitas obrigações acessórias: livros, cópias de notas, arquivos magnéticos e declarações. Uma empresa normal, que fature entre 2,4 a 40 milhões de reais entrega por ano nada menos que 50 declarações distintas, imprime livros que precisam ser registrados na Junta Comercial e ainda por cima, é exigida em certificação digital (que não deixa de ser uma declaração) para emitir notas fiscais e entregar essa informação toda.

O Brasil é o lugar onde, para importar ou exportar é preciso ter despachante e, dependendo da natureza da mercadoria, é preciso também ter pistolão para que o processo ande e ela não se perca. A burocracia está enraizada nos órgãos fazendários, nos portos e aeroportos e até mesmo no caminho entre eles e os depósitos e as distribuições das mercadorias. Nada que seja legal no Brasil chega ao consumidor final sem gerar quilos de papéis e milhares de informações que são acumuladas mesmo não servindo para diminuir a sonegação de impostos ou mesmo o contrabando ou o descaminho. No Brasil, drogas, armas e contrabando chegam aos usuários finais custando 1/10 do que qualquer mercadoria legalizada de valor similar, justamente por conta da burocracia!

De tanto os políticos roubarem, o Estado brasileiro passou a não confiar no cidadão e considerar que ele é mal-intencionado até prova em contrário. E por não confiar no cidadão, o Estado é nada mais é que uma grande estrutura corrupta que impõem dificuldades e vende facilidades em todas as esferas de poder: desde simples escriturários a ministros, no Brasil todo mundo impõe burocracia mas rouba do mesmo jeito e facilita as coisas para quem estiver no esquema, do mesmo jeito.

O Brasil pode até não conseguir sediar a Copa de 2014, mas já venceu a copa da burocracia com honras, e dificilmente perderá o título para quem quer que seja.