NO PAÍS DO VOLEIBOL

A foto é do portal UOL.

Quer dizer que o Mano Menezes é o novo técnico da seleção brasileira?

Bem, em algum tempo, provavelmente no fim desta tarde, será chamado de burro por convocar "a" ou não convocar "b". No esquema tático dele sempre faltará alguma coisa e, se vencer todos os torneios que disputar daqui até 2014, o será apenas por sorte, porque, afinal, técnico da seleção é burro e ponto final.

E se não for campeão da Copa em 2014, de burro passa a ser vilão nacional, com direito a entrar no rol dos inimigos da pátria que se veste de verde amarelo para celebrar o evento máximo da FIFA, mas que não se lembra de fazer o mesmo em 7 de setembro, muito menos de votar direito nas eleições que existem a cada dois anos.

Mas o burro é o técnico, e ponto final!

O engraçado é que ninguém sai às ruas de bandeira em punho, pintado de verde-amarelo e dizendo que "ama" o Brasil quando a seleção nacional de volei enfileira adversários e ganha nada mais, nada menos, que sua nona Liga Mundial, a oitava em 10 anos!

Esse grupo comandado pelo técnico Bernardinho já venceu 8 Ligas Mundiais, duas Copas do Mundo (2007 e 2003), uma Olimpíada (2004), 5 Campeonatos Sul-Americanos, e 1 Pan-Americano, sem contar os ótimos (e muitos) 2º e 3º lugares.

Começo a pensar que no dia em que o volei tiver seu mérito reconhecido, o técnico da seleção(de volei) passará a ser o burro oficial da nação onde ser segundo lugar é desonroso e na qual patriotismo só existe enquanto o país não é eliminado da Copa do Mundo.