FALEMOS DE ÉTICA E ELEIÇÕES

É de enjoar ver petistas e tucanos se acusando mutuamente de corrupção. É o roto falando do rasgado, o torto acusando o outro de não reto e assim por diante.

Tanto o PT quanto o PSDB fizeram governos coniventes com a corrupção. O presidente Lula e o presidente Fernando Henrique se omitiram em casos escabrosos de corrupção dentro de suas administrações, isso é fato demonstrado.

É pequena, quase nula a diferença entre um José Dirceu e um Eduardo Jorge. Talvez ela resida no fato de que o primeiro nunca escondeu o objetivo de subir a rampa do Planalto como governante do país, mas fora isso, não vejo absolutamente nada de diferente entre os dois influentíssimos assessores presidenciais imersos em acusações e investigações diversas.

Tanto o PT quanto o PSDB foram à fonte e pediram o apoio do PMDB para governar. Ambos se fizeram acompanhar e apoiar de figuras emblemáticas da política nacional, tal qual José Sarney, Orestes Quércia, Severino Cavalcanti, Paes de Andrade e Paulo Maluf. Ambos foram obrigados a cooptar parlamentares com favores em forma de emendas orçamentárias em algum momento de seu governo.

Ou não? Alguém tem coragem de afirmar que PT ou PSDB não comeram nas mãos destes políticos e partidos?

Um debate presidencial entre PT e PSDB pode muito bem versar sobre a maior capacidade de Dilma Roussef ou José Serra para governar, afinal, ambos têm histórico de serviço público para mostrar. Também pode comparar as circunstâncias econômicas e os sucessos que cada partido eventualmente experimentou eu seu tempo de governo. Pode até fazer construções ideológicas estúpidas como um acusar outro de neoliberal ou socialista mesmo com ambos aplicando a exata mesma fórmula macroeconômica (âncora fiscal e tributária, superávit primário e altas taxas de juros) ministrada desde tempos imemoriais pelo Fundo Monetário Internacional e adotada pelo Brasil como única forma de conter a gastança desordenada e ineficiente de recursos públicos, promovida por todos os governantes do país desde Getúlio Vargas, uma das gêneses do subdesenvolvimento de um país tremendamente rico.

Só por favor não venham dizer que um dos partidos é mais ético que o outro. São farinha do mesmo saco, grandes organizações que querem o poder para distribuir cargos, benesses, contratos e negócios para seus afiliados, eventualmente deixando algum benefício para o resto do país. Só isso, nada mais que isso.

PT e PSDB podem debater sobre absolutamente tudo, menos ética.