MALDADE


Foto: Agência Brasil.

Na Gazeta do Povo de Curitiba:

Jade Barbosa lança campanha na internet para custear tratamento no punho

O Ministério do Esporte e as secretarias estaduais e municipais do assunto em vários lugares do Brasil andam em polvorosa organizando-se para sediar a Copa do Mundo e torrar BILHÕES de dinheiro público em estádios suntuosos.

Estádios que farão a felicidade apenas de políticos que se fartarão em manipular dinheiro, tal qual o que aconteceu nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, orçados em 350 milhões, mas que custaram 5 vezes isso sem deixar absolutamente nada de bom para a cidade e sua população, vez que as prometidas melhorias urbanas não saíram do papel, apesar do orçamento muito mais que estourado.

Contas, aliás, que não aprovadas pelo Tribunal de Contas da União.

E no Rio de Janeiro, há um grupo que quer porque quer sediar as Olimpíadas, mesmo com o fracasso retumbante, a organização pífia e vergonhosa dos Pan-Americanos, que legou uma Vila Olímpica que está afundando e desistiu das obras que beneficiariam as pessoas com melhorias do trânsito porque, não houve tempo para elas.

Dizem fazer política esportiva mas nada fazem pelos atletas.

Essa moça linda e dedicada é o melhor exemplo disso. Durante os jogos Pan-Americanos e os Olímpicos, foi assediada de modo criminoso pela imprensa e usada pela Confederação de Ginástica e pelo Comitê Olímpico como garota-propaganda do esporte brasileiro.

Deu-se a entender que seus bons resultados seriam uma consequência de um trabalho de promoção esportiva.

Que nada! Estão pouco se lixando para as dificuldades dos atletas e jamais sequer pensaram em promovê-los, até porque vivem empurrando essa função para a iniciativa privada, porque os governos só guardam preocupações se existem contratos, obras, licitações e MUITO dinheiro envolvido.

Os governos preferem investir bilhões em estádios para a Copa e torrar outros milhões nessa candidatura brancaleone do Rio de Janeiro, mas não se preocupam com as pessoas, e quando digo pessoas, não me refiro só aos atletas.

Quando uma campeã consagrada como Jade Barbosa chega a esse ponto, precisamos nos perguntar para quê uma Copa do Mundo ou uma Olimpíada no Brasil?

Se este país não é capaz de ter uma política esportiva que atenda uma atleta como ela ou, mais grave ainda, não é capaz sequer de ter um sistema público de saúde que pudesse atendê-la na qualidade de brasileira que depende da cirurgia para exercer sua profissão, como é que pode se imaginar construindo estádios em padrão europeu ou ainda promovendo uma Olimpíada?

O fato é que não há dinheiro para as pessoas no Brasil. Os brasileiros são apenas um número de CPF que identifica quanto pagam de impostos para que os políticos joguem dinheiro fora construindo arenas e promovendo candidaturas que só beneficiam a si mesmos.

E atletas são pessoas, estão fora da festa dos políticos que só dizem apoiar o esporte.