PONTOS CORRIDOS EXIGE REGULARIDADE


O São Paulo foi campeão brasileiro mais uma vez, justamente porque aposta em times e administrações regulares, coisa que não é de hoje.

Se o moderno campeonato brasileiro (de 1971 para cá) fosse por pontos corridos desde a primeira edição, provavelmente o São Paulo já teria sido campeão em 10 ou 12 ocasiões. Basta constatar que, pelos pontos acumulados até sua eliminação, ele seria campeão, por exemplo, em 1985 e 2001, anos em que os clubes paranaenses venceram a competição. Some-se à isto a quantidade de vezes em que foi vice-campeão (1971, 1973,1981,1989, 1990) em que nem sempre ficou, em pontos, atrás do campeão.

Isso porque o clube aposta em projetos de longo prazo (Telê, Cilinho, Muricy), técnicos que trabalham vários anos e categorias de base bem estruturadas, que funcionam em conjunto com o departamento de futebol profissional. No São Paulo, não são três derrotas consecutivas que abalam o prestígio do técnico e mesmo as inevitáveis vendas de jogadores são assimiladas com uma política de repor as "peças" antes delas se irem, planejando o momento das negociações.

Claro que no clube há problemas, como em todo o futebol brasileiro. Mas os resultados dos últimos 5 anos demonstram que o caminho é este, o da regularidade tanto dos resultados em campo, quanto das práticas administrativas.

Bom é saber ao final deste campeonato nacional de 2008, que clubes como o Grêmio, o Internacional e o Cruzeiro já atentaram para a fórmula deste sucesso tricolor, e demonstram que no curto prazo, podem melhorar muito e encostar no clube do Morumbi.

Em Porto Alegre, os dois gigantes rivais já acumulam juntos mais de 75 mil sócios. O Internacional prepara-se para fazer uma reforma espetacular no estádio Beira-Rio e o Grêmio iniciará em 2009 a construção do mais moderno estádio da América Latina, em um complexo de prédios que mudará a face urbana de um bairro inteiro da cidade.

Já o azul de Minas conta com o melhor centro de treinamentos do país, sem negligenciar os trabalhos na antiga Toca da Raposa, celeiro de futuros craques. São todos clubes que têm mantido práticas administrativas rigorosas e resultados regulares em campo.

Se o exemplo do São Paulo for seguido por mais clubes, o futebol brasileiro reencontrará a antiga glória e a capacidade de manter aqui, os craques que produz. O jeito, então, é torcer para que isso aconteça.