QUEM DISSE QUE NÃO É BOM INVESTIR NAS FORÇAS ARMADAS?



No Brasil, sempre que se fala em re-aparelhar as forças armadas, há quem levante a tese de que o país é pacífico, que não precisa, que é bobagem, que o dinheiro seria melhor utilizado em outras áreas, apesar do dinheiro que não é investido nelas, jamais chega em outras áreas, mas fica no bolso de quem não merece.

Agora peço que você, leitor, clique nos links abaixo e constate um pequeno exemplo de relevância de forças armadas operacionais e bem equipadas:

Equipamento de combate a incêndios é testado em Campo Grande

FAB atua em combate a incêndio no Parque Nacional da Chapada Diamantina

C-130 da FAB cumpre missões de combate a incêndio na Chapada Diamantina

Aviões de transporte tático equipados com kits de uso militar (acreditem os leitores, os citados kits MAFFS tem funções militares, muito antes de usados com funções civis) ajudam a sociedade numa situação de dificuldade extrema. E não é só por conta do equipamento, porque o pessoal militar é treinado para trabalhar nas condições mais adversas e estuda profundamente os terrenos onde atua, sem contar que faz isso de modo extremanente organizado.

Por isso que eu sempre defendo aqui neste blog a valorização do pessoal militar, bem como o reequipamento das forças que, em bom estado operacional, protegem as riquezas do país, combatem o narcotráfico e o crime organizado de modo geral, promovem a evolução tecnológica da indústria nacional e atuam nas mais variadas e relevantes funções.

O Brasil precisa aprender que um sistema de defesa não é apenas uma arma de guerra ou agressão, é algo muito mais amplo, que assegura a integridade de toda a sociedade.

PS.: A foto é de divulgação da Força Aérea Brasileira.