O ADEUS AO MAIOR DOS COXAS

"...não deixem que o Coritiba caia para a segunda divisão. Faça essa diretoria montar um time forte. Ano que vem o Coritiba completa 100 anos e precisa estar disputando o título brasileiro. Montem um time forte. Pensem grande. Lá do céu vou comemorar junto com vocês... "
Abro o Coxanautas e vejo a notícia triste, o falecimento do maior dos Coxas.

Evangelino da Costa Neves, o "Chinês", veio de São Paulo e se apaixonou pelo Coritiba, clube pelo qual praticamente deu sua vida com esforço e dedicação como o de quem constrói o futuro de sua própria familia.

Digo aos meus leitores e lembro aos Coxas mais jovens as grandes conquistas deste homem incomum para nós Coritibanos: Construção do estádio Couto Pereira, Campeão Brasileiro, Campeão do Torneio do Povo(*), Fita Azul na Europa e 12 vezes campeão paranaense. Mais conquistas? Eu posso listar: Dirceu, Kruger, Kosilec, Luis Freire, Eli Carlos, Aladim, Manga, Duílio, Tobi, Tostão, Rafael Camarota, Dida, Edson, etc... é preciso ser muito competente para agregar tantos ótimos jogadores a um clube, verdadeiras conquistas.

Pode parecer pouco para os torcedores do São Paulo ou do Grêmio, mas não custa lembrar que ele fez tudo isso num tempo em que o futebol do eixo Rio-SP-RS era tremendamente mais forte que hoje e mesmo quando o campeonato paranaense era disputado por equipes fortes do interior, que não se intimidavam ante os "grandes" da capital.

E mais, fez tudo isso praticamente sem dinheiro, pois naquela época não existiam patrocínios nem verbas de TV.

Ainda mais lutando contra a mesma imprensa rubro-negra que hoje em dia atormenta o Coritiba. Basta lembrar um colunista atleticano da nossa imprensa, que ao lembrar de um corridão que recebeu do Chinês no estádio Couto Pereira, confessou que plantava mentiras para prejudicar o Alvi-Verde.

E não deixo de lembrar aos leitores o mais importante: Evangelino empobreceu ao doar sua dedicação do Coritiba Foot Ball Club, morreu vivendo de uma aposentadoria singela, ao contrário de muitos dirigentes de hoje em dia, que ao sair de seus clubes passam a viver como nababos.

Enfim, foi-se o maior dos Coxas, aquele cuja efígie foi posta ainda em vida na portaria do estádio Couto Pereira, tamanho o agradecimento de toda a comunidade de milhares de pessoas que compõe o Coritiba Foot Ball Club.

O futebol brasileiro perdeu, com a ida ele, um dos poucos cartolas honestos e preocupados com seu time de coração. Perdemos um ícone de amor a uma causa.

- A imagens são de autoria do Coxanautas e do Vô Coxa

(*) O Torneio do Povo foi uma competição de verão em turno único, que reunia clubes de grandes torcidas. Teve três edições, 1971, 1972 e 1973, a primeira vencida pelo Flamengo, a segunda pelo Corinthians e a terceira pelo Coritiba. O que faz o título do Coritiba importante para a história do futebol brasileiro, é o fato de ter sido o primeiro torneio com clubes de vários estados (Rio-SP incluídos), vencido por uma equipe sulista.