COMO MATAR UM CLUBE DE FUTEBOL

Seja sócio de um clube de futebol.

Passe sua vida inteira criticando e atrapalhando diretorias vencedoras, torcendo contra, dizendo que avisou de qualquer mínimo problema que venha a ocorrer. Nunca dê o braço a torcer e, se preciso, sabote o clube o máximo que puder, nem que seja lançando boatos maldosos e destituídos de sentido.

Um dia, você assume o poder.

Daí inventa um plano de sócios que tira receita de bilheteria e ainda por cima entrega 38% do valor bruto para uma empresa a título de "taxa de administração".

Não leve a sério tarefas como a organização de shows comemorativos ou projetos de novo estádio. Simplesmente faça muito alarde e depois que dá tudo errado, deixe a torcida humilhada e prostrada.

Faça contratações ruins, perca bons jogadores do elenco de graça, capriche na incompetência no departamento de futebol!

Deixe-se levar por chantagens de jogadores assessorados por tubarões e pague tudo o que eles pedirem mesmo não tendo dinheiro para tanto.

Atrase sistematicamente os salários e só os pague mediante empréstimos bancários.

Baixe o preço dos ingressos para o jogo mais importante da história do clube. Cobre R$ 5,00 e deixe que aquela horda de marginais que não têm capacidade de pagar R$ 30,00 vá no jogo completamente bêbada, para zoar e praticar violência.

Pronto! Seguindo todos estes passos você destrói uma instituição centenária!

Sinto dizer aos meus amigos blogueiros, que neste domingo, 6/12, morreu o outrora glorioso Coritiba Foot Ball Club. Porque se ele não for punido exemplarmente pelo que aconteceu depois do jogo é preferível rasgar os códigos legais e voltar a viver na idade da pedra.

É triste para mim pedir isso, mas o Coritiba precisa ser punido, nem que isso inviabilize sua continuidade como instituição.

Só espero que o Ministério Público apure também de modo exemplar a responsabilidade da diretoria do Coritiba!