Pular para o conteúdo principal

HALOWENN, FESTA JUNINA, POUCA PEDAGOGIA E MUITA DEMAGOGIA

Tribunais europeus andam implicando com crucifixos e vestimentas religiosas dentro das escolas.

Alegam que o fato de salas e aula contarem com decoração religiosa ofende alunos que não são cristãos ou não professam o credo predominante do continente, o catolicismo.

Um religioso de lá declarou com acerto que "estamos trocando crucifixos por abóboras", referindo-se ao fato de que as escolas, especialmente as privadas de classe média e alta, promovem a data tipicamente americana, sem que os tribunais preocupem-se com questões religiosas, mas com o intuito de lucro na venda de fantasias,impondo aos pais a contribuição para celebrações que mais são castigos para crianças e genitores, do que boas manifestações de pedagogia.

É algo parecido com as festas juninas aqui no Brasil, que ocorrem entre junho e agosto, porque seu prazo foi esticado para que todas as escolas consigam arrancar dinheiro dos pais otários, fazendo-os assistir encenações muitas vezes grotescas e à contragosto dos alunos, que nada aprendem senão gozar da cara de pessoas simples.

E agora, descobriram que podem fazer o mesmo trazendo para cá essa manifestação do colossal mau-gosto norte-americano, o lucrativo (para elas) Halowenn.

Mas voltando ao tema principal, Haloween é uma festa pagã, cujas celebrações tem por finalidade afastar os maus espíritos.

Ora, se tem espírito, tem religião envolvida e pode ferir suscetibilidades religiosas do mesmo jeito que eventuais crucifixos pendurados sobre a lousa. Mas os tribunais europeu silenciam, na mesma exata medida em que ignoram que a maior parte das instituições de ensino mais tradicionais daquele continente têm raízes na religião católica.

Fazem demagogia, quando deveriam se preocupar com assuntos mais sérios, como a necessidade de integrar melhor os imigrantes que vão para lá e aceitam os trabalho duros que europeus não querem fazer ou muitas vezes não têm mão-de-obra para assumir.

Não que eu seja contra a celebração de Haloween e festas congêneres, apesar de detestar festas juninas desde criança. Sou contra a demagogia de agir com pesos e medidas diferentes, caso dos tribunais europeus e contra a imposição que se faz a pais e crianças de festejar essas coisas as vezes não gostando delas. Também pesa o imperialismo cultural, decorrente da força do cinema e da TV americana sobre o mundo, que acaba fazendo europeus e brasileiros importarem coisas que têm pouquíssima ou nenhuma relação com suas culturas.

Postagens mais visitadas deste blog

O DISTRITÃO NÃO SOLUCIONA, MAS É MELHOR DO QUE HÁ HOJE

Existem dois tipos de eleitores no Brasil. O consciente, que vota naquilo que o candidato representa (para o bem ou para o mal), e o conivente, aquele que troca o seu voto por alguma benesse, ignorando as falhas gritantes do candidato.
Aqui, em Rio Branco do Sul, se um indivíduo não gastar no mínimo uns 100 mil reais não tem chance alguma de se eleger vereador. Quando meu pai foi candidato, 40 anos atrás, todo dia tinha fila na porta de casa, de gente pedindo dinheiro, cachaça, carona para ir para Curitiba, traslado para levar a mãe na benzedeira, contribuição para churrasco, material de construção, etc... e isso foi bem além da campanha, uns 10 anos depois ainda tinha gaiato dizendo que votou nele, emendando isso com pedido de trocados para gastar no boteco, e isso que não foi eleito, nem tentou de novo depois.
Moral da história: as campanhas eleitorais não são caras porque os candidatos querem gastar, elas são caras porque boa parte do eleitorado é corrupto e desonesto. E num ambie…

VIRAR PESSOA JURÍDICA PODE PREJUDICAR SUA APOSENTADORIA

Nestes tempos em que se discute com 15 anos de atraso uma reforma previdenciária profunda que ataque um dos dois principais problemas fiscais brasileiros, o déficit crescente do INSS (o outro é a conta absurda de juros), não deixa de ser importante discutir o efeito de transformar o empregado em pessoa jurídica.
Para nós, contabilistas, é o melhor dos mundos. O empregado de certa empresa vira pessoa jurídica, nós recebemos os honorários de tabela e ele ainda desconta 11% (quando somos pessoas físicas) do valor que é nossa contribuição previdenciária. Mas para o ex-empregado as coisas não são assim tão simples.
Quando você aceita virar pessoa jurídica, imediatamente tem de pensar em como ficará sua aposentadoria. Um empregado que ganhe R$ 15 mil mensais, contribui para o INSS pelo máximo da tabela, ou seja, ele está pagando para, quando completar o tempo e a idade, aposentar-se com um valor de aproximadamente R$ 5 mil por mês, talvez um pouco menos dependendo de sua média de contribui…

O ADEUS AO MAIOR DOS COXAS

"...não deixem que o Coritiba caia para a segunda divisão. Faça essa diretoria montar um time forte. Ano que vem o Coritiba completa 100 anos e precisa estar disputando o título brasileiro. Montem um time forte. Pensem grande. Lá do céu vou comemorar junto com vocês... "Abro o Coxanautas e vejo a notícia triste, o falecimento do maior dos Coxas.

Evangelino da Costa Neves, o "Chinês", veio de São Paulo e se apaixonou pelo Coritiba, clube pelo qual praticamente deu sua vida com esforço e dedicação como o de quem constrói o futuro de sua própria familia.

Digo aos meus leitores e lembro aos Coxas mais jovens as grandes conquistas deste homem incomum para nós Coritibanos: Construção do estádio Couto Pereira, Campeão Brasileiro, Campeão do Torneio do Povo(*), Fita Azul na Europa e 12 vezes campeão paranaense. Mais conquistas? Eu posso listar: Dirceu, Kruger, Kosilec, Luis Freire, Eli Carlos, Aladim, Manga, Duílio, Tobi, Tostão, Rafael Camarota, Dida, Edson, etc... é prec…